Trabalhos individuais ou em grupo: qual a melhor opção?

Entenda essas duas formas de trabalho para aplicar em sala de aula!

Entenda essas duas formas de trabalho para aplicar em sala de aula!

As atividades e dinâmicas realizadas em sala de aula são ótimas alternativas para ajudar no bom desempenho e no processo de aprendizagem dos alunos. Elas podem ser feitas individualmente ou em grupo, sendo que cada tarefa ajuda na fixação e coloca em prática os conteúdos que foram abordados nos livros. Mas qual é o melhor método: trabalhos individuais ou em grupo? Confira abaixo e entenda mais sobre eles!

Geralmente, os alunos têm habilidades e conhecimentos diversos, mesmo estando na mesma série escolar. Assim, é importante que o aprendizado seja desenvolvido pensando no todo, de forma saudável e produtiva para o grupo. Os professores devem levar em conta as diferenças, as particularidades e o desempenho individual dos estudantes, o que abre portas para novas visões de mundo, torna os métodos de ensino mais variados, possibilita uma melhor avaliação e proporciona novas vivências entre os colegas. 

Por meio das atividades individuais, é possível ter um acompanhamento mais próximo do processo de aprendizado de cada aluno, dar atenção às dificuldades e dúvidas individuais e entender como cada um tem adquirido os conhecimentos passados em aula.

Já as atividades em grupos são realizadas principalmente com o intuito de estimular o diálogo e o compartilhamento de ideias, não só entre os alunos, mas também entre o professor e o grupo. Assim, crianças e adolescentes começam a lidar, desde cedo, com as diferenças, as opiniões variadas e outros tantos desafios da convivência, que demandam o desenvolvimento da capacidade de se expressar, questionar e encontrar soluções positivas para o coletivo. Por isso, quando os professores optam por esse método, transformam a sala de aula num ambiente cooperativo e interativo! 

Também podem ser desenvolvidas atividades sobre os conteúdos apresentados nas disciplinas da grade escolar, sabendo que todos os alunos estão preparados para realizar essas atividades e dar suas contribuições. Esse é um momento social, já que desenvolve a afinidade e a confiança, o incentivo uns aos outros e a criação de identificações. Ou seja, os trabalhos em grupo são benéficos para a troca de opiniões e o desenvolvimento intelectual, mesmo com diferenças de idade entre os jovens.

Atividade individual ou em grupo?

Primeiramente, os professores devem analisar o objetivo da atividade. Depois, se o tema escolhido pode ser adaptado para uma atividade em grupo ou se é melhor uma atividade individual, dedicando um tempo para analisar o conhecimento de toda a turma e de cada aluno. Se a atividade em grupo for a escolhida, é necessário atenção na montagem dos grupos para mesclar os estudantes que possuem diferentes níveis de conhecimento sobre o assunto. 

Caso existam atritos entre alguns alunos no grupo, auxilie nessas situações e ensine-os a lidar com as divergências. É preciso ficar atento para que todos os integrantes do grupo participem do exercício, e para que as tarefas e responsabilidades sejam divididas de forma justa e equilibrada. É importante que os educadores prestem ainda mais atenção ao realizarem atividades em grupos, pois por vezes elas também demandam tarefas específicas, como combinar horários de encontro fora da sala de aula.

Nesse sentido, o ideal é não utilizar demais um formato e nem o outro, mas, ao longo das aulas, variar entre trabalhos em grupo e individuais. Quer saber mais dicas para aplicar em sala de aula e aprimorar o processo de aprendizagem? Leia outros posts no nosso blog:

Planejamento escolar: como se preparar para o próximo ano letivo

Qual a importância da tarefa de casa?

FIQUE POR DENTRO DAS NOVIDADES DO DOM BOSCO