Como ensinar educação financeira para crianças

Como ensinar educação financeira para crianças

Confira alguns conselhos para ajudar seu filho a aprender sobre finanças desde cedo!

Promover o contato com questões financeiras de maneira responsável desde a infância pode ser essencial para permitir que as crianças se tornem adultos responsáveis e capazes de tomar decisões conscientes sobre consumo. É comum que muitas famílias sintam receio e também tenham dúvidas sobre como abordar esse tema. Entretanto, conversar sobre o assunto e dar os primeiros passos de educação financeira durante a infância pode ser positivo, divertido e repleto de novas aprendizagens. Para ajudá-lo, nós separamos algumas dicas para você ensinar educação financeira para o seu filho. Veja:

Promova o contato com o tema

Primeiro, as crianças devem conhecer o dinheiro do seu país e ter contato com ele, sobretudo para não criar uma relação distante das questões econômicas. É importante permitir que as crianças conheçam as diferentes notas e moedas e tenham a oportunidade de manipular o dinheiro sob supervisão. Esse momento também pode ser oportuno para explicar que não se deve molhar as notas ou rasgá-las, e como elas podem ser perigosas para a saúde por serem manipuladas por muitas pessoas. Também é significativo explicar para as crianças mais velhas como um cartão de crédito funciona e pode ser usado para pagar por produtos ou serviços no dia a dia. Durante a infância, o pensamento subjetivo ainda está sendo desenvolvido, por isso é natural que as crianças tenham dificuldades para perceber esse dinheiro que parece ser “imaginário”.

Ensine sobre organização

Um dos principais assuntos relacionados à educação financeira é a organização. É muito significativo que as crianças entendam o quanto antes que a compra de novos itens para a casa ou de objetos de uso pessoal está relacionada à necessidade. Ou seja, que não é positivo escolher itens de maneira aleatória ou compulsiva e sem realmente precisar deles. Uma forma de exemplificar isso é com uma ida ao supermercado. Antes de ir às compras, peça que o pequeno verifique quais itens estão faltando em casa e devem ser comprados com perguntas como “Temos arroz?”, “Quantos ovos ainda temos?” ou “Quais frutas você gostaria de comer esta semana?”.

Incentive os questionamentos 

A ida ao supermercado também pode ser uma oportunidade divertida para ajudar seu filho a perceber como as escolhas funcionam no momento de compra. Você pode propor que ele seja responsável pela escolha de um item, como um pacote de biscoitos ou uma escova de dentes, por exemplo, e instigá-lo a notar como um produto tem marcas diferentes e preços variados. Também é importante perguntar se ele percebe como as quantidades disponíveis podem ser diferentes, ou qual pode ser considerado mais gostoso, mais saudável ou até mais bonito, fatores que influenciam a tomada de decisão.

Eduque com leveza

Ensinar ao seu filho ferramentas financeiras complexas, como cálculos, juros e simulações pode não ser uma boa ideia. Tais aprendizados podem ser muito distantes da realidade dos pequenos e tornar as finanças um tema entediante. Portanto, seja criativo e procure explorar de maneira lúdica as questões que são relacionadas às vivências do seu filho. Uma alternativa é investir em jogos e gincanas com notas de brincadeira, ao invés de planilhas complicadas e repletas de contas.

Oriente

A mesada por ser uma alternativa para inserir seu filho de maneira direta no universo das finanças. Você pode combinar que todo mês ou toda a semana ele receberá um valor específico, por exemplo. Também deve ser explicado que ele será o responsável por decidir se irá guardar esse valor ou usá-lo para comprar algo que deseja. Uma sugestão é aproveitar a oportunidade e incentivar o seu filho a sempre anotar os seus gastos. Ele pode manter um caderno em que registra o que comprou, qual foi o valor pago e quanto economizou naquele período. O ideal é que você oriente o pequeno em suas escolhas, mas o deixe livre para tomar as suas próprias decisões, o que contribui para a formação do senso de responsabilidade.

Seja um bom exemplo

O contato com a educação financeira também pode ser um momento importante para os pais reverem a sua relação com o dinheiro. Famílias que organizam os seus gastos demonstram disciplina para os pequenos e permitem que eles compreendam de que maneira o cuidado com o dinheiro pode ser positivo. Portanto, é pertinente permitir que o seu filho acompanhe a organização das contas e entenda como esse hábito é parte da rotina da família. A educação financeira evita que os jovens e as crianças se tornem adultos que têm dificuldades para lidar com o consumo. Porém, o ideal é que as questões relacionadas a esse tema sejam inseridas aos poucos no dia a dia dos pequenos e de maneira lúdica e didática. Assim será possível explicar conceitos mais complexos de finanças ao longo do crescimento e prepará-los para serem adultos organizados e responsáveis!

Programa Financeira Mente 

O programa Financeira Mente, da Pearson, oferece soluções pedagógicas e materiais didáticos variados para ensinar aos alunos como usar o dinheiro de forma sustentável. Aprender sobre educação financeira é fundamental para que sejam desenvolvidas atitudes proativas e a consciência do uso responsável do dinheiro, inclusive diante das transformações econômicas. Além disso, o Financeira Mente busca aprimorar o aprendizado dos estudantes, criando uma relação entre a educação financeira e outras áreas do conhecimento. Saiba mais sobre como a Pearson tem promovido a educação financeira no nosso site!

Se você gostou deste texto, confira outros posts que podem interessá-lo:

4 benefícios da música para o desenvolvimento infantil

5 benefícios de cozinhar com seus filhos desde cedo

FIQUE POR DENTRO DAS NOVIDADES DO DOM BOSCO