5 clássicos da literatura brasileira para trabalhar no ensino fundamental

5 clássicos da literatura brasileira para trabalhar no ensino fundamental

Confira títulos para incentivar o hábito da leitura nos seus alunos! 

O interesse pela leitura deve ser cultivado desde os primeiros anos escolares, permitindo que as crianças e os pré-adolescentes se encantem com as obras literárias e encontrem espaço para discutir os temas abordados em cada história. Por esse motivo, reunimos alguns títulos clássicos da literatura brasileira que você pode selecionar para trabalhar com os seus alunos. Confira. 

1 - O Menino Maluquinho, Ziraldo

Desde as primeiras páginas, descobrimos que o Menino Maluquinho é um menino impossível! Em uma história repleta de ludicidade, Ziraldo aborda temas como a infância e a amizade de maneira divertida. O livro é ricamente ilustrado e traz textos curtos e bem dinâmicos, semelhantes aos quadrinhos. No entanto, há algumas palavras e termos mais complexos que podem ampliar o vocabulário das crianças. 

Ao longo dos anos, a obra criou vida própria, e hoje o personagem é um dos favoritos entre os brasileiros de todas as idades. Em 1981, recebeu o Prêmio Jabuti, o mais reconhecido prêmio literário do Brasil. A obra é ideal para começar a cultivar o interesse pela leitura nos alunos que estão nos anos iniciais do ensino fundamental.

2 - Meu Pé de Laranja Lima, José Mauro de Vasconcelos

Zezé é um garoto pobre que, aos seis anos de idade, cria o próprio universo imaginário para fugir da sua realidade hostil, somada a uma família que não é muito carinhosa e compreensiva. Com sua criatividade, o pequeno dá vida ao seu melhor amigo, um pé de laranja lima chamado Xururuca.

A obra de Vasconcelos mistura a inocência da infância às traquinagens comuns da idade, enquanto desperta as emoções do leitor. O subtítulo da obra afirma que a história é sobre um “meninozinho que um dia descobriu a dor”, mas apesar de seu enredo ser considerado intenso e triste, a leitura é válida para públicos de todas as idades. Publicado há mais de 50 anos, Meu Pé de Laranja Lima já foi traduzido para 52 línguas e é considerado um best-seller juvenil. 

3 - A Bolsa Amarela, Lygia Bojunga

Aos dez anos, Raquel é a mais nova entre três irmãos e, por isso, não se sente muito querida pelos pais. Diante da realidade que a incomoda, a pequena tem três grandes sonhos: crescer, ser um menino e tornar-se escritora. Um dia, Raquel ganha uma bolsa amarela, objeto que uma tia distante teria dado à família e chegou até ela apenas porque nenhum outro familiar desejou ficar com ele. 

Logo, a bolsa transforma-se no espaço em que a garota guarda todas as suas vontades e exercita a sua criatividade, criando amigos imaginários que a ajudam a encontrar um novo jeito de viver no mundo real ao seu redor. Na obra, Lygia oferece uma valorização da subjetividade infantil durante o desenvolvimento das crianças, um ponto interessante em oposição ao conservadorismo da vida social - e adulta. 

4 - O Alienista, Machado de Assis

Simão Bacamarte é um profissional renomado da psiquiatria que, após passar por terras portuguesas e espanholas, desembarca no Brasil. Na pequena cidade de Itaguaí, se vê incomodado com a quantidade de pacientes psiquiátricos que não recebiam o atendimento correto para as suas necessidades. A contragosto da população, decide abrir um hospício para abrigar os pacientes da cidade. No entanto, em meio aos seus surtos de grandeza e à ânsia de conhecer mais sobre a loucura, Bacamarte começa a abrigar todos os moradores da cidade em sua instituição.

Na obra, bem-humorada e inteligente, Machado de Assis dialoga sobre o que é a loucura e como as pessoas julgadas loucas eram tratadas no século XIX, e também faz uma crítica relevante sobre a importância dos poderes políticos e os perigos da falta de conhecimento. Devido ao seu teor mais denso, a obra é indicada para os últimos anos do ensino fundamental, e também pode ser uma boa forma de introduzir o extenso e significativo trabalho de Assis para a literatura nacional na rotina de leitura dos jovens.

5 - Manuelzão e Miguilim, Guimarães Rosa

Em Manuelzão e Miguilim, Guimarães Rosa traz duas narrativas distintas, mas complementares. Em Campo Geral, conhecemos as vivências de Miguilim, um garoto que, no auge de sua infância, perdeu seu irmão mais velho e se vê em uma relação conflituosa com seu pai. Por outro lado, Uma Estória de Amor traz as impressões de Manuelzão, um senhor que organiza a festa de inauguração da capela de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro e, em meio aos preparativos, relembra histórias de sua mocidade. 

Em formato interessante, o autor combina a oralidade mineira a temas filosóficos, como o crescimento, e aborda duas fases opostas da vida: a infância e a velhice. Além disso, a linha temporal da história é um pouco diferente, e as vivências dos personagens tornam-se muito mais relevantes que o desenrolar dos fatos no tempo presente. Assim como a indicação anterior, a obra também é uma boa opção para os últimos anos do ensino fundamental. 

Há uma série de títulos brasileiros que podem incentivar os alunos a se interessarem pela literatura desde cedo; o  que é muito importante, uma vez que a leitura é extremamente benéfica para o desenvolvimento escolar! Portanto, não deixe de pesquisar também outras obras que se encaixam com as propostas pedagógicas de cada ano escolar para tornar os estudos ainda mais ricos e significativos.

Se você é educador, aproveite a visita ao nosso blog e leia também:

Como fazer uma avaliação de qualidade na sua escola

Atitudes que devem ser evitadas na escola

FIQUE POR DENTRO DAS NOVIDADES DO DOM BOSCO

Este website não coleta dados de menores de 12 anos.

agreedAge*
Verify recaptcha to submit form

Ao enviar os dados acima, eu concordo em receber e-mails e mensagens através do WhatsApp do Dom Bosco e outras marcas Pearson. Ver política de privacidade. Ver Política de Privacidade.