Veja como a educação pode ser uma forma de proteger o cérebro

Veja como a educação pode ser uma forma de proteger o cérebro

A neurociência tem muito a pesquisar sobre o papel da educação, incluindo os seus impactos da educação no cérebro.

É importante pensar que a educação é um desenvolvimento constante do cérebro. Quando alguém domina uma área do conhecimento como a matemática, por exemplo, muitas pessoas tendem a pensar que sempre foi assim. A neurociência fornece dados concretos para defender que a inteligência e as habilidades de alguém não são uma característica fixa e inalterável.

Segundo o neurocientista Facundo Manes, em sua palestra “Educar com o Cérebro em Mente”, educação é uma parte essencial de um cérebro bem desenvolvido, e o primeiro passo para uma educação melhor é perceber que se trata de um desenvolvimento - e agir como tal.

Se tratando das crianças, é preciso elogiar suas inteligências pelo esforço delas mesmas e não como se fosse apenas um talento que está nelas. Dessa maneira, pais e professores podem encorajar os pequenos a aprender mais.

Com os adolescentes funciona da mesma forma. É preciso que eles entendam que a inteligência necessita ser desenvolvida. Quando dizem que não são inteligentes estão equivocados, pois na verdade só precisam se esforçar um pouco mais.

Se os alunos acreditam que ser inteligente é um dom destinado apenas para algumas pessoas, os que recebem esse título acham que o perdem ao cometerem uma falha, ao invés de enxergarem uma oportunidade de melhorar e se dedicar mais nos pontos que precisam. Lembre-se: a inteligência é um dom que todos podem desenvolver, pois ela não nasce perfeitamente crescida com ninguém. Tudo se aprende ao longo da vida.

Esse é um dos maiores mitos que precisam acabar entre nossas escolas. Outro, não menos importante, é o de que o ser humano só usa 10% do seu cérebro, e ainda que fazer várias coisas ao mesmo tempo é bom para o cérebro.

Manes acredita que os jovens não se cansam, pois estão frequentemente interagindo com inúmeras mídias ao mesmo tempo. Para ele, isso não é algo bom. O cansaço é bom para o cérebro, e cansar a mente é algo que a educação faz muito bem. Isso é porque nossos recursos cognitivos são limitados e que precisam ser exercitados. A falta de cansaço significa que o cérebro não está sendo levado aos limites, mas apenas trabalhando em níveis baixos, no “piloto automático”.

Neste cenário, a educação possui um papel fundamental. Nosso cérebro é o produto de uma evolução de milhares de anos, mesmo que a tecnologia seja uma ferramenta revolucionária, ela tem um custo de produção na nossa mente. Por isso ainda é preciso saber educar, mesmo numa sociedade imersa no digital.

Fontes:
noticias.universia.com.br/destaque/noticia/2017/01/10/1148240/descubra-educacao-pode-forma-proteger-cerebro.html
 

FIQUE POR DENTRO DAS NOVIDADES DO DOM BOSCO

Este website não coleta dados de menores de 12 anos.

agreedAge*
Verify recaptcha to submit form

Ao enviar os dados acima, eu concordo em receber e-mails e mensagens através do WhatsApp do Dom Bosco e outras marcas Pearson. Ver política de privacidade. Ver Política de Privacidade.