PESQUISA SOBRE EDUCAÇÃO

PESQUISA SOBRE EDUCAÇÃO

Pearson, líder mundial no desenvolvimento de soluções para a educação, publicou dois novos relatórios encomendados de autoria do Professor John Hattie, um dos maiores especialistas em educação do mundo. Ambos questionam algumas das principais políticas de reforma seguidas pelos governos nos últimos vinte anos.

Hattie questiona o predominante foco governamental em políticas que incluem dias letivos mais longos, pagamento dos professores de acordo com o desempenho e redução do tamanho das turmas, todas as quais, segundo ele, são menos importantes do que a variabilidade dos resultados do ensino e a eficácia do professor dentro de qualquer escola.

No primeiro relatório, intitulado “O Que Não Funciona Na Educação: a Política da Distração”, Hattie apresenta uma série de políticas de “distração” difundidas, mas de baixo impacto, entre as quais:

Dias letivos mais longos

O aumento do dia letivo ou do ano letivo, um ajuste muito dispendioso, tem comprovadamente pouco efeito, já que não há correlação positiva entre o tempo de instrução e o rendimento do aluno.

Pagamento de acordo com o desempenho

Provou-se que remunerar os professores com base unicamente no desempenho apenas aumenta os níveis de estresse, ao mesmo tempo em que diminui o entusiasmo. Uma solução melhor é aumentar o pagamento conforme o professor aumente sua qualificação ou ajude colegas professores a aprimorar suas habilidades.

Turmas menores

Os dados mostram que, em geral, os professores não mudam sua maneira de ensinar, independentemente do tamanho da turma; portanto, turmas menores não têm tanto impacto quanto se imaginava.

Tecnologia como solução mágica

Hoje em dia, a tecnologia é predominantemente usada na sala de aula como mais uma maneira de os alunos consumirem fatos e conhecimento. Para ter um impacto transformador no ensino e na aprendizagem, a tecnologia precisa ser vista como uma ferramenta de ensino para a produção de conhecimento.

Escolha da escola

Dá-se muita atenção às diferenças entre as escolas, quando os dados mostram que o maior problema são as diferenças dentro das escolas, em particular a variabilidade entre os professores. Hattie conclui que a turma em que o aluno cai dentro de uma escola importa mais do que a escola em si.

Educação inicial do professor

Estudos mostram que os programas de educação do professor estão entre os fatores que têm o menor impacto geral entre todos os que influenciam o rendimento do aluno. Em seu lugar, deveria dar-se mais ênfase ao primeiro ano de ensino em sala de aula em tempo integral, que é o período em que os professores obtêm o maior aprendizado.Confira a matéria completa no site da Pearson Brasil.

FIQUE POR DENTRO DAS NOVIDADES DO DOM BOSCO