A Voz do Professor

A Voz do Professor

Uma homenagem especial aos professores Dom Bosco, que não medem esforços para atuar nessa profissão.

Em homenagem aos professores da rede Dom Bosco by Pearson, realizamos, em Outubro, a campanha A Voz do Professor, uma série de depoimentos dos educadores que fazem a diferença na vida de milhares de alunos. Conheça a história da professora Enaile Feitoza Rodrigues, da Creche Bebê Bombom Dom Bosco, de Nova Iguaçú (RJ):

"Sou professora há mais de 15 anos, e, atualmente, atuo como coordenadora pedagógica. Quando criança, adorava brincar de dar aulas para minhas bonecas. Seguir esta carreira foi uma influência de familiares que são educadores, principalmente minha mãe, que trabalha como professora de Língua Portuguesa.

Sua dedicação, esforço e carinho me deram indicações de que valia a pena lutar por um futuro melhor para nossas crianças. 

Embora saiba de todas as dificuldades e desvalorização profissional do educador, tenho a certeza de que estou no caminho certo em minha vocação, porque tudo que faço é com muito amor. Fico imensamente feliz com cada avanço e superação de desafios dos nossos alunos. 

Acredito na educação e gostaria que a sociedade também acreditasse. A nossa rotina não é nada fácil, há de se ter muito empenho, coragem e determinação para realizar um bom trabalho, porém, é só através da educação que podemos construir um futuro melhor para todos

Neste mês dos professores, gostaria de dizer aos mais novos que, além de muitos estudos e pesquisas, o ingrediente principal para enfrentar os obstáculos do dia a dia ainda é o amor. Olhem seus alunos com carinho e sejam acolhedores. Seus alunos confiarão em vocês e a mágica da educação acontecerá!"

Confira o depoimento do professor Rafael Corrêa Ramos, da CECI Dom Bosco de Itaú de Minas (MG):

“Comecei como professor substituto de Química há cinco anos, e entrei como professor titular há um ano. Eu sempre me identifiquei com a área de Exatas, mas, quando comecei a ter aulas de Química no Ensino Médio, descobri que era isso que eu queria fazer para o resto de minha vida.

Logo no primeiro ano de faculdade, passei a dar aulas particulares para alunos de Ensino Médio. Além de ter a satisfação de fazer com que um aluno aprendesse a disciplina na qual eu era apaixonado e receber meu primeiro salário de professor, eu fixava melhor o conteúdo que também estava aprendendo. A cada ano que se passou, fui adquirindo cada vez mais a certeza de que era esse caminho que eu queria seguir, mesmo diante de muitas dificuldades que encontramos no dia a dia.

Claro que lido com muitas dificuldades em sala de aula, mas, na maior parte do tempo, me considero abençoado com os alunos que tenho. Alguns deles têm problemas em compreender a matéria, mas é aí que entra meu desafio em tornar a Química mais atraente e a gostarem desta ciência.

Para facilitar o trabalho do professor, meu conselho é que ele esteja antenado ao mundo dos adolescentes e jovens (categoria em que me incluo, pois tenho 27 anos). Saber desde gírias até tecnologias são elementos que podemos explorar e usar ao nosso favor.  E, principalmente, que ame sua profissão. Que todo dia, antes de entrar na sala de aula, pense: ‘Hoje eu vou dar a melhor aula da minha vida’.”

FIQUE POR DENTRO DAS NOVIDADES DO DOM BOSCO